13 de mai de 2011

As dores do mundo

Sinto bem fundo, todas as dores do mundo.
Só que meu poema não conseguiu tocar em feridas maiores.
Abro os jornais e leio e choro e me arrepio
com a fome,
com a guerra,
com a Aids,
com a violência,
com a destruição do verde e da vida.
Tento escrever, mas sai um poema impotente.
Fico pensando: " As dores do mundo pedem canções ou exigem ações?"

Um comentário:

  1. Os dois, Giovana: Pedem canções e exigem ações!
    Muito bom.
    Laura

    ResponderExcluir